Oficina APAP/PR 2013

Oficina APAP/PR 2013

A Associação Profissional dos Artistas Plásticos do Paraná-APAP/PR e Secretaria Municipal do Meio Ambiente de Curitiba-SMMA, realizam oficinas com alunos da Rede Municipal de Ensino após a exposição “PINTANDO CURITIBA”, realizada no Jardim Botânico de 21/09 a 06/10/2013. Um grupo de alunos de Escolas Municipais tiveram um dia de aula diferente, na semana de 07 a 11/10/2013. Eles participaram da “OFICINA PINTANDO CURITIBA”, que percorreu dez escolas neste período, atingindo um total de 350 estudantes. A atividade contou com o trabalho voluntário de dez artistas associados da APAP/PR e residentes em Curitiba, são eles: FRANCISCO BORGES, HELOISA CAMPOS, ILKA PASSOS, KATIA VELO, MARCOS LOZZA, MARINICE COSTA, NOELI TARACHUKA, ROSICLER PRAGER, SABINE FERES e VIVIANE CAMARGO. Equipes do departamento de Educação para a Sustentabilidade, da Secretaria Municipal do Meio Ambiente, também participaram da ação.

A estudante Geovanna da Rosa de Lima, de 10 anos, gostou da experiência. Ela pintou uma tela, em que retratou a natureza, com traços abstratos. “Está sendo divertido e bem movimentado. Gosto muito de trabalhar com artes”, disse Geovanna. Seu colega de classe, Vinícius Gabriel, também aprovou a experiência. “Estamos aprendendo técnicas para trabalhar com cores. É muito legal trabalhar ao lado do artista”, comentou.

A oficina encerra a 2ª fase da Maratona Infantil e Juvenil da Sustentabilidade, que foi a etapa cultural. A primeira etapa, que teve início no começo deste ano, teve caráter ambiental. “Na fase cultural, procuramos despertar nas crianças a percepção e a sensibilidade através do olhar dos artistas”, explicou a diretora do departamento, Marcia Frasson. “Perceber o ambiente em que vivemos é uma forma de sustentabilidade”, comentou. Segundo Marcia, a 3ª e última etapa da Maratona será recreativa, com desafios de crianças de escolas municipais e grupos de escoteiros de Curitiba. Ela destaca que a Maratona, que encerra no dia 23 de novembro, não tem foco na competição. “Não haverá escola vencedora. O objetivo principal é possibilitar o conhecimento e a vivência de práticas de educação para a sustentabilidade. Ou seja, quem vai ganhar será Curitiba”, afirma a diretora.